As diretrizes curriculares nacionais (DCN) para o curso de medicina publicadas em 07 de novembro de 2001 (RESOLUÇÃO CNE/CES Nº 4/2001) foram o resultado de fóruns e discussões iniciados pelo Conselho Nacional de Medicina em 1996. Seus trabalhos encerraram-se no ano de 2000.

Ele é um documento norteador para o desenvolvimento teórico-prático de um projeto pedagógico e para a gestão do curso.

Tem como princípios a pluralidade de idéias, a indissociabilidade entre teoria e prática, do entendimento da avaliação como uma necessidade permanente e a compreensão de formação como articulação entre as habilidades e competências com a capacidade de transformar a realidade.

Desse modo, o projeto pedagógico está sempre em construção. Ele explicita como se dará a formação do futuro médico e como ele sairá da faculdade de medicina. Detalha como ele construirá o seu conhecimento.

As DCN contém orientações para a adoção de metodologias de ensino centradas no aluno, daí a adoção de boa parte das novas faculdades do PBL (Problem Learning Based).

O professor transforma-se em facilitador do processo de ensino-aprendizagem e o aprendizado baseado em problemas é orientado para os problemas da comunidade.

As DCN estimulam ainda a interdisciplinaridade, na pedagogia da interação, com os conteúdos das ciências básicas e clínicas desenvolvidas de forma integrada com os problemas prioritários de saúde da população, contato do estudante de medicina com a realidade de saúde da comunidade desde o início do curso.

As novas diretrizes curriculares nacionais para o curso de medicina foram publicadas ainda neste ano de 2014 trazendo como características a incorporação de novos avanços na educação médica.

Clique aqui para ler as DCN de 2001.

Clique aqui para ler as DCN de 2014.